quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Às vezes

Às vezes fico cansado mas não quero dormir
Quero apenas que as pessoas se lembrem
Que se lembrem que eu também preciso
Que também gosto daquele doce ou daquela goma
Às vezes quero ter mais força que o mais forte dos homens
Apenas para esmagar o que de mau vai dentro de mim
Não tenho culpa de momentaneamente odiar o mundo
Nem de escrever prosa como se escreve um poema
Às vezes fico farto das oportunidades que nunca tenho
Fico farto de amar as estrelas como elas nunca me amarão a mim.
Às vezes tenho vontade de ajudar mas sei que não consigo
Às vezes odeio a sociedade e as regras com que vivemos
Às vezes condeno-me por coisas das quais não tenho culpa
Às vezes falho.
Às vezes como demasiado.
Às vezes tenho preguiça.
às vezes odeio que tudo e todos sejam postos à minha frente.
Às vezes choro como uma criança mimada.
às vezes faço rir uma sala inteira.
Às vezes escrevo sem nexo.
Mas sou sempre um ser humano.















imagem:http://pesquisatudo.org/wp-content/uploads/2013/11/imagens-tumblr-imagens-para-tumblr-lindas-imagens-63.jpg

terça-feira, 25 de Março de 2014

Micronarrativa VII

A Mila perguntou ao seu avô:
- Porque é que as passadeiras tem riscas brancas?
- Bom,minha netinha,tem a ver com uma história.
- Conta,conta.
- O final é triste.
- Mas conta,vá lá.
- Bem...
- Vá lá...
- Ok.
- Começa.
-Bem,vamos a isso. Há muito tempo,na altura em que os animais falavam,existia uma zebra que passeava com 4 amigos seus: um leopardo,um lémure,uma cobra e um lagarto.
Nessa altura,em que os animais falavam,os humanos também os percebiam. Todos partilhavam o mundo,desde que os humanos não fossem aos espaços exclusivos dos animais e os animais não entrassem onde só as pessoas podiam ir.
As estradas eram partilhadas.
- Avô,há bolachas?
- Sim.Despacha-te a ir buscá-las para eu continuar a história.
Mila foi buscar as bolachas muito depressa e voltou a sentar-se.
- Posso continuar,Mila?
- Sim.
- Onde é que eu ia? Ah,já sei! Na parte das estradas. Bom: as estradas,os parques onde existissem muitas árvores,as bermas e outros espaços podiam ser usados pelos animais e pelos homens.
Os 4 amigos faziam sempre o mesmo passeio,o que envolvia passar sempre pelos mesmos locais: a ponte,a estrada,o parque,a estrada e a praia.
Ao anoitecer voltavam para casa.
Um dia,um senhor muito bem vestido vinha no seu Ford Modelo T e atropelou a zebra?
- Atropelou?!
- Sim.Eu disse que tinha um fim triste.
- E depois?
- Os amigos tentaram ajudá-la mas a humanidade não deixou que culpassem o senhor bem vestido e não ligou ao sofrimento da zebra.
- Sofreu muito?
- Sim. Tanto que as suas riscas  ficaram estampadas no alcatrão.
- A sério?
- Sim. E foi a partir desse momento que os animais passaram a ser colocados em zoos e os locais partilhados terminaram. As pessoas deixaram de entender o que os animais diziam.Quanto aos animais,ninguém sabe se entendem o que dizemos.
- Oh...que pena. Queres uma bolacha?